[Crônica] Não volto atrás

em 22 de jan. de 2021

Eu me perdi no emaranhado de sonhos e expectativas frustradas. A vida passou como um raio sem que pudesse ter visto e questionado. Parecia que vivia a mercê dos caprichos de uma grande criança. Então acordei, me sentia como um pássaro preso em uma gaiola, cujas correntes e grades foram auto impostas e com a liberdade roubada, invadida. 

Minha alma estava partida em mil pedaços e quando por fim tudo passou tive que me recompor e recolher os pedaços.

Eu voltei. Voltei por mim. Voltei para mim. Olho o passado com sabedoria e sinal de dever cumprido. Fiz tudo que pude e mais um pouco. 

Se me perguntarem se sinto falta, eu diria que sim. Evidentemente que sinto, sinto uma vontade as vezes louca de abraçar, de me sentir abraçada por alguém. Mas está falta não me domina, não é dona dos meus atos, não é dona de mim. 

Porque por mais alta que a saudade seja, que está falta seja, nada paga a liberdade que ganhei. O amor que descobrir que já existia dentro de mim. Por mais que seja forte a saudade eu sei que vai passar a esta paz me faz melhor do que qualquer outro sentimento que eu possa ter sentido. 

Eu não volto atrás, ah não, não volto mais. Porque descobri em mim um amor maior que qualquer outro.  

❤❤❤

E aí curtiu? 

Então não esqueça de compartilhar com seus amigos. 

Primeira crônica do ano de 2021 uhuuu!!

 Até a próxima! 

Beijos coloridos!! 





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Paginação numerada



Destaque

Sinceridades

  Hoje acordei mais racional. Ouvi meu coração que me xingava por ter deixado uma suposta chance de ser feliz escapar. Mas acontece que não ...

Topo